ACLU: 911 الأطفال المفصولين عن أولياء الأمور عند الحدود منذ 2018

في صورة أرشيف 16 هذه لشهر يوليو من 2019 ، تجلس امرأة مع أطفالها أثناء انتظارهم لطلب اللجوء في الولايات المتحدة على طول الحدود في تيخوانا ، المكسيك. قال اتحاد الحريات المدنية الأمريكي يوم الثلاثاء ، يوليو 30 من 2019 ، إنه تم فصل أكثر من 900 من الأطفال عن عائلاتهم الحدودية منذ أن أمر قاض في العام الماضي بتخفيض هذه الممارسة بشكل كبير. يقول اتحاد الحريات المدنية الأمريكي إن طفلاً منفصلاً من بين كل خمسة أطفال دون سن 5. (الصورة: Photo AP / Gregory Bull ، الأرشيف)

Mais de 900 crianças, incluindo bebês e crianças pequenas, foram separadas de seus pais na fronteira no ano em que um juiz ordenou que a prática fosse drasticamente reduzida, disse a União Americana de Liberdades Civis na terça-feira, em um ataque legal que convidará a mais escrutínio do Trump. táticas amplamente criticadas pela administração.

A ACLU disse que o governo está separando as famílias usando acusações duvidosas e transgressões menores, incluindo infrações de trânsito. Ele pediu a um juiz que decidisse se as 911 separações de 28 de junho de 2018 a 29 de junho deste ano eram justificadas.

Em junho de 2018 – dias depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, recuou em meio a um alvoroço internacional – a juíza Dana Sabraw ordenou que a prática de separar famílias na fronteira fosse interrompida, exceto em circunstâncias limitadas, como ameaças à segurança infantil. O juiz deixou decisões individuais a critério da administração.

Desde então, um dos pais foi separado por ter danificado propriedades avaliadas em US $ 5, disse a ACLU. Uma criança de 1 ano de idade foi separada depois que um funcionário criticou seu pai por deixá-la dormir com uma fralda molhada.

Em outro caso, uma menina guatemalteca de dois anos de idade foi separada de seu pai depois que as autoridades a examinaram por causa de febre e fralda e descobriram que ela estava desnutrida e subdesenvolvida, disse a ACLU. O pai, que veio de uma “comunidade extraordinariamente empobrecida” repleta de desnutrição, foi acusado de negligência.

Cerca de 20% das 911 crianças separadas dos pais no ano seguinte ao pedido do juiz tinham menos de 5 anos de idade, informou a ACLU.

A maioria dos pais passou semanas sem saber onde seus filhos estavam, e alguns nem sequer entendiam por que haviam sido separados. Aproximadamente um terço das 900 crianças que foram separadas de suas famílias desde a ordem do juiz esteve sob os cuidados do Catholic Charities Community Services, que diz que apenas três crianças foram reunidas com os pais com quem viajaram.

A organização diz que 185 crianças foram liberadas para adoção depois de semanas ou meses em abrigos do governo e 33 foram devolvidas a seus países de origem.

As separações ocorreram durante um surto sem precedentes de crianças da América Central que tem sobrecarregado as autoridades americanas, a maioria vindo de famílias, mas muitas não acompanhadas.

مصدر: وكالة اسوشيتد برس

الإعلانات

اترك تعليق:

يستخدم هذا الموقع Akismet لتقليل المحتوى غير المرغوب فيه. تعرف على كيفية معالجة بيانات تعليقاتك.